sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Latada

    Devido a restrições orçamentais vamos ter de adiar a construção da latada que tínhamos programada para o caminho do poço. Já temos o orçamento para as madeiras, o transporte programado e a construção ia ser da responsabilidade do meu gajo, mas incerteza no posto de trabalho leva-nos a ser prudentes e adiar.  

    Assim sendo, o caminho que ia ser alargado (e que estava cheio de ervas) teve de ser limpo.
Este balde na imagem é onde ponho os restos orgânicos de casa, vai ser o tema do próximo post (Objectivo: resíduos zero).
   Quando limpei o caminho aproveitei e podei as videiras. Como prova deste verão incomum tenho videiras com cachos de uvas novos. As que tinham cachos não podei, quero ver o que vai dar.


    Estas videiras já deram uva, e devia estar agora  a perder a folha, mas estão a fazer uma nova frutificação. Isto é típico de países como o Brasil, ter duas colheitas por ano. Isto está a ficar tudo marado.

6 comentários:

horticasa disse...

É verdade, não sei o que se passa tenho lá uma pereira que está cheia de flores, está maluquinha...
Mas aí ficou um belo serviço, muito bem!
bj eugénia

Dama das Camélias disse...

Ahahaha, o nosso país está a ficar tropical, eu bem tenho vindo a dizer que qualquer dia estou a passar o Natal na praia.
Essa latada que falas, realmente foi a decisão mais sensata pela maneira como as coisas andam.

Quanto ao caixote do lixo, a minha mãe costuma dizer muitas vezes, já que temos ecopontos para cartão, plástico, vidro... deveriamos ter também um para lixo orgânico, há imensas coisas que se fossem tratadas poderiam ter outras finalidades.

Fico há espera do post.

Beijinhos

Kastanon disse...

Os Deuses andam loucos!!!

Será que essas uvas vão ser comestíveis? Certamente vão ser pouco doces...

Quando as provar diga qualquer coisa :)

Ursdens disse...

nas clementinas tive duas levadas de fruto e os limoeiros estão agora outra vez com flor... Nas videiras aconteceu me o mesmo, já colhi uvas e tenho cachos novos e verdes... Enfim, desde que não venham catástrofes naturais associadas, o que duvido, até calha bem!
Cumprimentos! :)

Ana Mourão disse...

Pois é... as uvas são doces. Pelo menos as daquele pé.
Ter 2 colheitas até é bom, o problema é que as pragas também têm mais ciclos. Em vez de 2 ciclos por ano, temos 3 e não há fruta que aguente. E a terra? As minhocas trabalham mal com este tempo, há perda de nutrientes com este calor, as nossas terras não estão preparados para esta mudança... Isto é muito assustador. Na Agricultura biologica as coisas ainda se equilibram mas a convencional??? Ainda por cima porque isto implica mudar maneiras de tratar a terra, podas... e a maioria dos nossos agricultores não têm conhecimentos para mudar. Seguem procedimentos repetidos à muitos anos. A sério, isto preocupa-me muito.
Obrigada pelos comentários
Ana

Kastanon disse...

Não se preocupe com a agricultura convencional. Mais fertelizante, menos fertilizante, químico mágico do ano, pesticida com fartura e a agricultura convencional vai sobreviver...