quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Residuo das podas

    Quando vinha cá um Sr. podar as árvores (vieram vários) nunca deixaram o trabalho todo feito: podar as árvores e recolher os ramos, sobrava sempre para nós (apesar de eu pagar o tempo que demorariam a recolher...). Agora podo eu e recolho eu os ramos. Sobre as podas falarei noutro dia, hoje falo sobre o dilema dos ramos podados. O que fazer?
    1º solução: O mais prático é queimar. Hoje em dia é preciso pedir licença e tem alturas do ano em que não se pode queimar. A cinza serve de adubo mas o problema é a poluição do ar.
    2º solução: destroçadores ou estilhadores. Maquina cara, manutenção complicada, e tem limitação na dimensão dos ramos. A estilha poderia ser usada como adubo. É uma boa solução se fosse jardineira e tivesse muitos jardins.
    3º solução: compostagem. A compostagem de lenha é lenta por causa da lenhina, que tem de ser degradada antes de ser "digerida" pelas minhocas. Solução ideal porque simula a natureza mas lento, e teria que se partir os ramos para ajudar.

    4º solução: a minha.
Os ramos médios são partidos e amontoados em fardos, depois de secos são guardados para no inverno ajudar a "lançar o fogo" na salamandra e no forno.

Os grandes, depois de secos, são rachados também para aquecer a casa.


Os pequenos ficaram no terreno, o trator vai passar por cima, partindo-os ainda mais e assim serão incorporados, melhorando a estrutura do solo.
Quando há folhas deixo-as secar primeiro e depois corto os ramos. As folhas também serão incorporadas no solo.
Dá mais trabalho. Devolvo parte dos nutrientes ao solo, há uma parte que arde mas pelo menos o calor é aproveitado. É preciso algum espaço para depois guardar a lenha. E por fim, poupo algum dinheiro em lenha.
Têm alguma solução a acrescentar?

7 comentários:

horticasa disse...

Também foi assim que eu fiz, já a minha mãe fazia o mesmo...
E como em boa equipa não se mexe, continuo a fazer igual.
Dá trabalho? Dá, mas serviço bem feito não tem defeito, perfeito.
bjs eugénia

pal disse...

Parece-me do mais sensato que há! Continuo a gostar muito de acompanhar estas dicas e infos preciosas, de quem sabe e faz o que sabe. (contra mim falo que sou uma pseudo-rural - aqui vivo mas não meto mãos à obra assim....)

Lúcia disse...

Nenhuma!
E a tua solução parece-me a ideal.

cathywoman disse...

Uma solução temporária...
Antes de ir para queimar nos aquecimentos ainda escolho vários tutores para as ervilhas, pepinos, etc...
E depois sim, aproveito para o forno do pão...
até breve,
Catarina Costa.

Ana Mourão disse...

Olá Catarina,

Pois é, também faço algo parecido. Como tenho cães e a horta não é vedada, quando ponho algo novo, espeto uns paus à volta para eles não passarem por cima. Obrigada pelo coméntário, volte sempre.
Ana

Ana Mourão disse...

Olá Pal

Tem andado desaparecida, depois de ver o seu blog fiquei a perceber porque. Tem trabalhos muito bonitos. Boa continuação

Ana

Quinta das Mogas disse...

As podas das vinhas dão uma lenha especial para fazer uma brasa pequena e impecável para churrasco de picanha. Talvez essas podas aromatizem de uma forma especial algum cozinhado a lenha mais elaborado!!