terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Olival

    É o nosso orgulho. O terreno tinha vinha. À 3 anos começamos a cortar a vinha, com a motosserra, tirar os arames, os paus... nessa altura trabalhávamos os dois em Lisboa, por isso era no fim de semana que fazíamos o trabalho. Minha mãe, com ajuda de um vizinho é que arrancou grande parte. Impagável.
Depois ficamos com um monte de cepas para lenha que durou 2 Invernos.
    Finalmente no inicio da primavera passada começamos a instalar as oliveiras. Acabamos no Inverno. Agora temos cerca de 60 oliveiras, num compasso 3x4m. É um compasso intensivo: vai exigir rega localizada, adubações e podas frequentes.  Escolhemos a variedade Cobrançosa por ser mais adequada às condições.


    Quando estiverem a produzir em pleno teremos azeite para toda a família e ...deve sobrar algum para oferecer ou vender. Foi o meu gajo fez as medições das linhas e que instalou as oliveiras (sobre supervisão), fez um bom trabalho. Demorou mas ficou bonito. Pegaram todas! (tenho que dizer que ele é eng. electrotécnico e que sempre viveu na cidade até que à cinco anos mudamos para o campo ... tem muito valor).
     Agora falta o resto do terreno... acho que vou arranjar um corta relvas automatizado (= ovelha) ....é tanta erva...

9 comentários:

Lúcia disse...

Fantástico! Que bom trabaho, e um eng.electrónico... Parabéns!

Obrigada, pelo teu comentário no blog, um workshop era muito bom, mas ao contrário do que eu pensava, por aqui também há pessoas muito prendadas! Devias ter visto os presépios de natal que fizeram para a igreja.
De qualquer maneira obrigada pela ideia, e preocupação.

Beijinhos

horticasa disse...

E tens razão Ana, se eu vivesse lá no quintal também comprava uma ovelha. Assim sendo ando com a foice e a enchada e mato-me a trabalhar, sem nunca acabar com elas.
É tanta erva, mais chove mais cresce a erva.
bjs eugénia

Anónimo disse...

Ola. Sou herdeira de um pedaço de terra no Alentejo, no meio de nenhures e custa-me ver ali aquilo meio abandonado... dizem que naquela terra pouco ou nada cresce, apenas pasto, mas será que nada mesmo pode ou deve ser plantado ali? Como posso saber o que poderá germinar ali?
Se me puderes responder agradeço.

Ana Mourão disse...

Olá anónimo,

O que me pergunta é tema para uma tese. Duas coisas sei que pode pôr: Azinheiras (ou Sobreiros) e Oliveiras. Pode por isso e só precisa de alguns cuidados nos primeiros anos. Depende agora dos objectivos: a Azinheira serve para bolota (para animais), o Sobreiro tambem e tem cortiça, a oliveira para a azeitona (azeite). Em qualquer das especies pode ter um sistema agrosilvopastoril (combinando animais, arvores e cogumelos ou plantas meliferas). Produções agricolas (couves, milhos...) não é que a terra não sirva, mas o que a terra não tem tem de se dar (terra pobre tem de levar adubos e estrume, se há seca tem de se regar...). Mais uma vez depende dos objectivos mas neste caso pode ser inviável economicamente. Estou a falar de hipoteses, poisnão coneço os terrenos mas pode fazer uma coisa que não tem custos. Vai à camara e pede para ver o PROF para a zona. Os profs dizem que tipo de zona é e que especie é apropriado pôr. (PROF= planos regionais de ordenamento florestal) se for zona agricola tambem diz, pode dizer que é zona adquada para pinheiros ou outros quercus (o sobreiro e a azinheira são quercus). Depois pode associar se a uma associação florestal. Sou eng Florestal se tiver mais dúvidas pergunte à vontade. Espero ter ajudado.
Volte sempre

Quinta das Mogas disse...

Tenho mesmo de aprender mais sobre as oliveiras e que género devo plantar aqui em Amarante.
Esse vosso espaço vai ficar lindo daqui a uns anos, excelente investimento a azeitona. Mesmo que não querias azeite sempre podes curtir (não sei se essa variedade é boa para isso).
Ana tens de fazer uma fotonovela sobre a poda das pequerruchas.
Parabéns!

Anónimo disse...

Obrigado pela resposta. Vou então à procura dos tais PROFs. Aproveito para lhe colocar uma outra questão. Onde posso conseguir encontra o Manual Prático de Horticultura do Richard Bird da Editorial Estampa. Ou algo semelhante e bom? O dito livro está esgotado na editora e não se prevê qualquer reedição. Além da referida propriedade tenho um pequeno quintal, com cerca de 70m2 e queria começar a plantar alguma coisa mas os meus conhecimentos nesta área são 0.
Mais uma vez obrigado.

Anónimo disse...

Vou aproveitar para deixar mais uma questão... onde posso obter formação na área agrícola, sem que seja uma licenciatura nem nada que o valha?

Gracias, mais uma vez.

Ana Mourão disse...

Olá novamente,

Não conheço o livro, logo não posso recomendar outro, vou ver o que consigo. Quanto à formação, não aconselho licenciatura (é sempre para a produção em grande escala e não para hortas). Há cursos dados por associações (formações de fim de semana) e há cursos no centro de emprego (tipo fruticultura) mas são mais horas e mais profissional.
Sei de alguns lugares para fazer as formações. Vou tentar fazer um post dentro em breve. Tambem tenho muita informação que vou recolhendo, vou tentar disponibilizar no site. Como já tinha dito em tempos, experimentar, errar, aprender com os erros e grande capacidade de observação são ferramentas essenciais, mais do que qualquer manual.
Volte sempre
Ana

Kastanon disse...

Anónimo, onde é que são esses terrenos? Em que concelho?