segunda-feira, 16 de julho de 2012

A Oliveira

Estou a preparar os materiais para a formação que vou dar. Comecei pela Oliveira.
É representativa do povo português: consegue fazer o melhor nas condições mais difíceis.
Quando o terreno não dá para nada (é pobre, inclinado, pedregoso...) põe-se uma oliveira, e sabem que mais... ela consegue produzir azeitona para fazer algum azeite.

Alguns parágrafos perdidos:

  • Adapta-se a quase todos os tipos de solo, embora prefira os de textura moderadamente fina e francos, com boa profundidade (cerca de 1 m) e bem drenados. Dá-se em solos moderadamente ácidos a ligeiramente alcalinos (pH 8,5).
  • Durante a colheita não corte e não pode as oliveiras. Quando o faz está a prejudicar as plantas e a prejudicar o seu rendimento.
  • A Oliveira possui uma notável adaptação ao deficit hídrico conseguindo crescer e produzir fruto em condições de sequeiro,com precipitação anual é cerca de 500 mm, e com estação seca de cinco ou seis meses.
  • Como adaptação não desenvolve um sistema radicular em profundidade, este é extenso e está confinado às camadas superficiais do solo. As suas folhas minimizam a intercepção de radiação solar e maximizam as trocas de calor. Os estomas conseguem controlar a transpiração.
  • Quando o solo não é mobilizado as árvores podem expandir livremente o seu sistema radicular, melhorando a eficiência de uso dos nutrientes e a nutrição mineral das plantas.
  • A vegetação é eficaz na redução da erosão hídrica, dificultando o escoamento superficial da água, promove a sua infiltração e impede que o solo seja arrastado.
  • O corte do mato não interfere com o normal desenvolvimento do sistema radicular, permitindo uma boa nutrição da planta e o aumento do teor de matéria orgânica no solo. Mas será sempre um método pouco eficaz para implementar em olivais de sequeiro.
  • O controlo da vegetação não deve ultrapassar o mês de Abril ou pode-se perder muita água.
  • A linha onde se localiza o sistema de rega deve ser mantida livre de infestantes.

Acho que devia ter começado por outra espécie, a literatura sobre a Oliveira é imensa.



4 comentários:

Ana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Rosarinho disse...

Olá Ana,

Que ricas informações sobre a oliveira, tenho uma num vaso grande mas ela cresceu imenso, agora nem sei bem se a posso manter nesse vaso.

Obrigada e boas culturas

Ana Mourão disse...

Olá Rosarinho,

A não ser que pode as raizes para fazer um bonsai, a oliveira não vai parar de crescer, e vai partir o vaso.
Já vi bonsais de oliveiras, ficam giros.

Obg pela visita.
Ana

Anónimo disse...

Olá
venho com alguma frequência visitar o seu blogue. Gosto.
Vendo que percebe de oliveiras atrevo-me a fazer uma questão: Num terreno que é dos meus pais mas que eles já não tratam devido à idade há algumas oliveiras. Dão tão pouca azeitona! O que posso fazer para melhorar as coisas?
Ana